Bahia vence último Ba-Vi de 2017

Bahia vence último Ba-Vi de 2017

Foto: Edigar Junio, Allione e Mendoza comemoram o triunfo do Bahia no clássico (Marcelo Malaquias / EC Bahia)

 

Foram mais de 90 minutos de pressão. Bahia e Vitória disputaram o último clássico Ba-Vi do ano neste domingo (22), e quem riu por último foi a torcida tricolor, que viu o Esquadrão derrotar seu maior rival por 2×1, na Fonte Nova.

O resultado põe o Bahia em situação mais confortável no Brasileirão, em 12º lugar, com 38 pontos, e aumenta a preocupação rubro-negra. Com 33 pontos, o Leão entrou na zona de rebaixamento, em 17º lugar. Foi ultrapassado pelo Avaí, que derrotou a Ponte Preta por 2×1, fora de casa.

O primeiro tempo foi de domínio do Bahia, que controlou a bola, sufocou em alguns momentos, mas criou poucas chances de gol. O Vitória praticamente não incomodou Jean.

Enquanto o tricolor criava, o Leão apertava a marcação. Vigiou Zé Rafael, Edigar Junio e Mendoza, que tiveram boa movimentação na primeira etapa. Com o estádio ocupado só por sua torcida, o Bahia foi mais ousado. Teve cobrança de falta de Allione tirada por Wallace, e de Mendoza, que mandou nas costas de Yago. O Vitória revidou com um chute de Uillian Correia de fora da área, mas a bola saiu pela linha de fundo, e em uma arrancada de David, que entrou na área e chutou na rede pelo lado de fora. Um susto. Ainda no primeiro tempo, Mendoza chutou e mandou para escanteio. Intervalo, e 0x0 no placar.

No segundo tempo, mais emoção. Se em 45 minutos, mais os dois de acréscimo, o Bahia não havia sido capaz de mandar a bola no fundo da rede, a história foi diferente na etapa final. Com apenas um minuto de bola rolando, Zé Rafael deu um passe e Wallace, ao tentar cortar, mandou a bola nos pés de Mendoza, que só teve o trabalho de bater colocado e marcar o primeiro gol do clássico.

Apesar do gol sofrido, o Leão não se abateu. Com David, que fazia uma bela partida, armou jogadas perigosas, chegou com velocidade e conseguiu faltas perigosas cobradas por Fred.

O Vitória passou a dominar o jogo como até então não havia conseguido. Aos 26, Tréllez recebeu pela direita, deslocou Jean e mandou para o gol vazio. A bola passou na frente do gol e por muito pouco não entrou. O Bahia revidou com Eduardo, que bateu forte da entrada da área, a bola desviou em Wallace e, por pouco, não enganou o goleiro Caíque.

De tanto pressionar, o Leão chegou lá. Após cobrança de escanteio de Cleiton Xavier, Lucas Fonseca tricolor cortou mal, a bola bateu em Renê Júnior e sobrou para Wallace, que se redimiu da falha no primeiro gol e deixou tudo igual na Fonte. Eram 37 minutos do segundo tempo.

Parecia que o clássico ia terminar empatado, até que surgiu Edigar Junio. Após uma arrancada impressionante de Régis, ele recebeu na cara de Caíque e bateu cruzado, mas o goleiro rubro-negro se esticou e espalmou para escanteio. Na cobrança, olha Edigar novo: Régis cruzou, Edson desviou no primeiro pau e, novamente sozinho diante de Caíque, o camisa 11 dessa vez não perdoou. Foi o gol do triunfo tricolor por 2×1.

Com o resultado, o Bahia termina a 30ª rodada em 12º lugar, com 38 pontos. Já o Vitória volta à zona de rebaixamento, em 17º, com 33.

 

Fonte: http://www.correio24horas.com.br/noticia/nid/edigar-junio-marca-aos-43-e-bahia-vence-ultimo-ba-vi-do-ano-2×1/ e http://www.correio24horas.com.br/noticia/nid/edigar-junio-celebra-o-triunfo-no-ba-vi-a-fonte-nova-e-nossa/